Pesquisar neste blog

12 de dez de 2010

TDAH- Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade



Certamente podemos encontrar em todas as salas de aula crianças e adolescentes, extremamente inquietos e desatentos, que não conseguem controlar a agitação interna que os leva a se comportar inadequadamente por exemplo, a perambular pela sala, a provocar os colegas, a desafiar a autoridade dos adultos, a não realizar as suas atividades, a não se concentrar, etc. e consequentemente a terem um baixo desempenho acadêmico e prejuízos nas relações sociais.

Essas crianças e adolescentes podem estar sinalizando, com esses comportamentos, um transtorno mental crônico, neurobiológico, multifatorial caracterizado pela dificuldade em prestar atenção, hiperatividade e impulsividade que combinadas em graus variados e manifestados já na primeira infância e em vários contextos persistem por toda a vida adulta, o Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH).

As pessoas não se tornam TDAH, mas nascem com o transtorno. Esse dado é um subsídio para que os educadores identifiquem os sintomas nas crianças no início da vida escolar e possam encaminhá-las para uma avaliação e tratamento multidisciplinar contribuindo assim para que tenham uma melhora na qualidade de vida.


O TDAH, é de alta frequência, entre 3% a 6% em crianças em idade escolar e tem um grande impacto na vida social e acadêmica do portador, na sua família e na sociedade. Portanto, os educadores (inclui-se os pais e demais educadores) devem estar atentos aos sintomas, pois o seu desenvolvimento está associado a um risco maior de baixo desempenho acadêmico, suspensões, expulsões, repetências, evasão escolar, relacionamentos conflituosos com a família, professores e colegas, baixa auto-estima, problemas de conduta, ansiedade, depressão, drogadição, tendência a se acidentar com frequência e a apresentar comorbidades (mais doenças associadas)  como o Transtorno Opositor Desafiante (TOD) - (não respeitam qualquer figura de autoridade-pais, professores, policiais,etc.) e o Transtorno de Conduta (TC).

O  diagnóstico do TDAH é clínico, não há um exame que se possa fazer para diagnosticá-lo, por esse motivo os pais e os professores têm importante papel na identificação dos sintomas nas crianças e adolescentes. Para isso podem lançar mão dos critérios constantes do SNAP IV[i] -um questionário- a seguir, assinalando quais são os comportamentos mais frequentes, mas sempre  observando que esses sintomas devem aparecer em mais de um contexto, ou seja, eles devem ser uma constante na vida social e acadêmica das crianças e adolescentes. Os sintomas devem estar presentes antes dos sete anos de idade e estar causando problemas na vida escolar, social ou familiar



 

O TDAH está classificado em seus subtipos:
  • TDAH com predomínio de sintomas de desatenção:
    • É mais frequente no sexo feminino.
    • A hiperatividade pode não ocorrer.
    • Há uma elevada taxa de prejuízo acadêmico.
  • TDAH com predomínio de sintomas de hiperatividade/impulsividade
    • Mais frequente nos meninos.
    • Eles são mais agressivos e impulsivos em relação ao subtipo desatento.
    • São mais rejeitados pelos colegas e impopulares (fazem amizade com facilidade e brigam com facilidade).
    • A impulsividade faz com que ajam primeiro e pensem depois.
  • TDAH combinado – Sintomas de desatenção com a hiperatividade/impulsividade
    • Há uma elevada taxa de prejuízo acadêmico.
    • Maior presença de sintomas de Transtorno Desafiador Opositivo (TDO) (não respeitam qualquer figura de autoridade-pais, professores, policiais,etc.) e Transtorno de Conduta (TC).
    • Maior prejuízo no funcionamento global quando comparado aos outros subtipos.
Diante desse quadro podemos ter a dimensão do sofrimento causado pelo TDAH na vida de todos, crianças, adolescentes e adultos. Se essas pessoas não são diagnosticadas e tratadas, continuarão sofrendo e terão  prejuízos em todas as dimensões da sua vida. 

 

Fonte: Palestra de Lucília Panisset – BH/MG. Tradução de Hélio Magri Filho. De KEWLEY, G. D. Attention Deficit Hyperactivity Disorder: Recognition, Reality and Resolution.  UK: LAC Press, 1999. Impresso com permissão.

IMPACTO DO TDAH NA VIDA

[i] SNAP IV disponível em  http://www.tdah.org.br/diag01.php

2 comentários:

  1. Oi Norita, boa noite

    Seu blog é bem completo! Aprendi muito com o conteúdo tratado aqui.
    Gostaria de sugerir que se aprofunde nas Neurociências e poste textos sobre.

    Obrigada
    Rita

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rita, minha resposta foi apagada indevidamente. Muito obrigada pela sugestão. Tentarei me aprofundar no tema sugerido.
      Abraço

      Excluir

Obrigada pela sua visita.
Deixe aqui o seu comentário e sugestões de temas.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...